Empresas usam dados e mídias sociais para contratar funcionários

0
8
Big Data é o armazenamento, análise e interpretação de grandes volumes de dados de grande variedade, sejam eles estruturados ou não estruturados. Em termos de marketing e vendas é usado para coletar e analisar dados de clientes e prospecção, e isso também é a regra quando se trata de seleção de candidatos a emprego: “Com Big Data, já está armazenada e analisa dados de empregados atuais e potenciais da empresa, “diz Bruno Vieira Zago, diretor da Cedro Technologies.
Segundo ele, o objetivo, na maioria dos casos, é otimizar os processos de recrutamento e seleção e otimizar os investimentos que a empresa tem com seus funcionários para saber, por exemplo, se vale a pena o investimento realizado. “Essas e muitas outras perguntas podem ser respondidas com a tecnologia. As  respostas podem ser usadas para aprimorar vários processos na gestão de talentos humanos. Acontece muito ao mesmo tempo, precisamos armazenar tudo e depois analisamos com o tempo”, enfatiza Zago.
Ele explica que muitas empresas que buscam novos colaboradores podem cruzar os dados fornecidos pelos candidatos com os sites de emprego, bem como as mídias sociais como Facebook, Instagram e LinkedIn. “Tudo isso possibilita encontrar pessoas com as qualificações desejadas, em tempo rápido e gerando uma economia forte”, exemplifica.
Uma das tarefas mais difíceis do RH pode ser aumentar a retenção de funcionários. Empresas com altas taxas de rotatividade acabam gastando dinheiro precioso com funcionários que não gastam muito tempo no conselho, desperdiçando recursos. “Com o Big Data, os profissionais de RH podem ter uma visão mais precisa dos funcionários que saem da empresa, das razões e se há algum padrão entre eles. Ao mesmo tempo, é possível identificar padrões entre pessoas que optam por ficar em casa. a organização e chegar a um modelo que exalta esses pontos e pode corrigir as dificuldades comuns do primeiro grupo. Isso já é uma realidade “, diz Zago.
Através de um Big Data HR bem estabelecido, na prática, é possível descobrir se as pessoas têm experiência de trabalho relevante ou se estão mais inclinadas a permanecer na empresa a longo prazo. Ou mesmo se a duração de experiências anteriores impactar no desempenho do funcionário na função atual. “A tecnologia também pode ajudar com mais precisão na medição do desempenho, determinando, por exemplo, as horas do dia em que a empresa produz mais.  Ainda é possível usá-la para identificar os melhores desempenhos, inclusive atribuindo outros fatores à avaliação. Por exemplo, em um banco Big Data pode ser utilizado para verificar quem atende mais clientes, bem como quem presta um melhor atendimento, evitando desgaste nos clientes “, ressalta Zago.
Não apenas Big Data, mas Analytics, Inteligência Artificial, Transformação Digital, Agile e até Blockchain. Há uma nova geração de tecnologias, processos e metodologias emergentes no setor de RH, com aplicações sendo desenvolvidas que completam a transformação digital. “Um deles é o uso de chatbots para auxiliar na automação da indústria. Com o uso de chatbots, a equipe de RH ganha tempo para fazer uma interação humanizada e personalizada em situações mais necessárias, enquanto questões mais simples são respondidas pelo robô. Entre as vantagens que o serviço de RH automatizado pode garantir são a redução de custos, auxiliando os colaboradores nas questões do dia a dia da organização e mais tempo livre para a equipe se dedicar a tarefas estratégicas. Além disso, gera um alto nível de satisfação e serviço em tempo integral.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here