O Uso Tecnologia Na Gestão Hospitalar

0
15

O Uso Tecnologia Na Gestão Hospitalar

A tecnologia na gestão hospitalar deve ser trabalhada constantemente para oferecer uma assistência clínica de qualidade, com recursos diagnósticos e terapêuticos que facilitem o processo decisório.

Além disso, a inserção de ferramentas tecnológicas deve ser pautada na necessidade crescente de utilidade, aliada ao investimento financeiro necessário e as facilidades para incorporar essas funcionalidades no dia a dia.

Para tanto, é importante pesquisar as opções disponíveis atualmente, com o perfil nosológico e medicamentoso da instituição clínica, de forma a aproveitá-las integralmente nos negócios clínicos.

Quer saber quais são as tendências de tecnologia na gestão hospitalar? Então, acompanhe as informações que daremos a seguir!

A importância da tecnologia na gestão hospitalar

O conhecimento médico que outrora era baseado em livros e na intuição do profissional, atualmente sofreu inúmeras intervenções positivas. Trata-se da utilização da tecnologia para as dimensões terapêuticas, diagnósticas e de acompanhamento.

Sendo assim, é possível fazer diagnósticos de doenças por meio de determinação rápida dos parâmetros laboratoriais ou instituir a robótica para procedimentos de alta sensibilidade nos pacientes. Assim como já se consegue tratar doentes com medicamentos mais seguros e efetivos.

Logo, como já é uma realidade, o acompanhamento da evolução clínica por meio de publicações científicas, em tempo real, que modificam significativamente a conduta terapêutica do médico.

Observa-se, porém, que a tecnologia, quando empregada demasiadamente, pode afastar a relação terapêutica construída entre médico e paciente, situação fundamental para aumentar a adesão e entender a experiência subjetiva do paciente.

Portanto, antes de optar por tecnologias inovadoras, é preciso refletir quais serão mais efetivas para o ambiente clínico e não deixá-las dominarem a consulta ou avaliação periódica, buscando sempre um equilíbrio nessas situações.

Principais tendências tecnológicas na gestão hospitalar

Impressora 3D

Imagine visualizar as estruturas orgânicas com a riqueza de detalhes que não seria possível nos equipamentos tradicionais? Além disso, fazer réplicas bem próximas ao órgão em questão para facilitar a intervenção cirúrgica?

Com a impressora 3D será possível recriar órgãos dos pacientes e estudá-los antes do procedimento cirúrgico, elaborar modelos de medicamentos para adaptar nas estruturas biológicas do indivíduo ou desenvolver próteses para as mais diversas indicações clínicas.

Aplicativos de saúde

Com o advento massivo da tecnologia no cotidiano das pessoas, é normal que essa influência seja assimilada nos aspectos relacionados aos cuidados em saúde. Sendo assim, a inserção de aplicativos em saúde se mostrou muito válida nesse contexto.

Nesse sentido, podem-se citar os aplicativos relacionados à promoção da saúde, que notificam sobre ingestão adequada de água, gasto calórico durante os exercícios físicos, avaliação sobre a ingestão alimentar, dentre outros.

Existem também os aplicativos de saúde destinados a funções específicas, como mensuração da glicose sanguínea, análise da pressão arterial, determinação dos batimentos cardíacos e outros que monitoram as doenças já instaladas.

Esses dispositivos, normalmente, estão disponíveis em relógios inteligentes ou nos telefones celulares e podem enviar informações, em tempo real, para os profissionais clínicos que assistem os pacientes.

A integração do sistema PACS e RIS

O sistema PACS propiciou um avanço no arquivamento e comunicação de imagens radiológicas, pois permite acesso em diferentes modalidades de software e conexão simultânea com outros profissionais médicos.

Além disso, a integração do PACS com o sistema RIS, ferramenta de gerenciamento de figuras médicas, possibilita o arquivo em subpastas virtuais com acesso rápido e prático. Dessa forma, as vantagens da integração desses sistemas são diferenciais.

Isso porque uma plataforma complementa a outra e juntas agilizam a emissão de resultados, acompanham a evolução clínica dos pacientes, mediante o histórico dos exames já armazenados, e apuram um prognóstico mais acertado.

Armazenamento na nuvem

Diante de tantas informações, é inconcebível mantê-las organizadas e de fácil acesso quando se busca, ainda que seja no ambiente virtual. Pensando nisso, a tecnologia na gestão hospitalar deve incluir o armazenamento na nuvem como uma das opções viáveis.

Trata-se de uma plataforma virtual com os limites de bytes a serem estendidos conforme a necessidade e o tipo de arquivo a ser armazenado. Além disso, é possível acessar os documentos de qualquer computador.

Essa estratégia facilita consideravelmente o acesso de dados, encaminha as informações para outros profissionais que também cuidam da saúde do paciente e otimiza as impressões dos exames laboratoriais e radiológicos.

Big data na saúde

A tecnologia na gestão hospitalar por meio da ferramenta big data permite a integração de dados clínicos, medicamentosos e laboratoriais, conciliando com os dados epidemiológicos das doenças mais comuns nas localidades próximas às empresas clínicas.

Com isso, é possível traçar um perfil do paciente atendido nas instituições de saúde, elaborar intervenções terapêuticas personalizadas e monitorar constantemente os indicadores clínicos da região.

Além disso, a integração das informações em diferentes plataformas é uma excelente oportunidade para construir e publicar artigos científicos de relevância, aumentando a credibilidade das empresas.

Telemedicina

A telemedicina é uma proposta para diminuir as distâncias geográficas, com o uso de tecnologia de ponta para comunicação e atendimento clínico de qualidade. Por meio dessa inovação, os pacientes obtêm uma segunda opinião médica ou conhecem outros tratamentos disponíveis.

Isso porque os recursos da telemedicina propiciam consultas online, emissão de laudos a distância, discussão de casos clínicos com outros especialistas e acompanhamento de cirurgias em tempo real.

Consequentemente, a assistência à saúde vislumbrou mais recursos, menos tempo e redução de custos de deslocamento do paciente e do profissional para orientação sobre situações que possam ser resolvidas remotamente.

A tecnologia na gestão hospitalar é uma atividade que deve ser constantemente avaliada e estimulada para angariar os benefícios de sua implantação. Ademais, é preciso analisar as opções mais usadas, considerar o perfil clínico da instituição e os recursos financeiros para o funcionamento dessas ferramentas. Nesse contexto, estratégias como armazenamento em nuvem, impressora em 3D, integração do sistema PACS com RIS e os aplicativos em saúde são as grandes tendências para melhorias da assistência clínica.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here