Perovskita, o mineral que tornará os painéis solares mais baratos e eficientes

0
16
Foi descoberto um novo método para a fabricação de painéis solares, esse método reduzirá consideravelmente o custo dos painéis solares, além de ser muito eficiente.   
  A pesquisa realizada pelo professor Yabing Qi e sua equipe, do Instituto de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Okinawa (OIST), em colaboração com o professor Shengzhong Liu, da Universidade Normal de Shaanxi (China), conseguiu desenvolver células solares através de materiais que imitam a estrutura cristalina do mineral perovskita.
As células solares podem ser comercializadas se atenderem a diversas características, como a taxa de conversão de luz solar em eletricidade, que deve ser alta, e baixo custo de produção e vida útil.
Atualmente, as células que compõem os painéis solares são de silício cristalino, que possui grande eficiência (cerca de 22%), mas que é de difícil processamento e que faz com que o custo de fabricação aumente consideravelmente.
Por outro lado, a perovskita é muito mais acessível em termos de custo e, como explica o professor Qi, “a pesquisa sobre as células da perovskita é muito promissora.  Em apenas nove anos, a eficiência dessas células passou de 3,8% para 23,3%.  Outras tecnologias levaram mais de 30 anos de pesquisa para alcançar o mesmo nível.  Isto é, as células solares de perovskita são muito mais baratas do que as de sicílio e têm a mesma eficácia.
Os pesquisadores cobriram os substratos condutores com filmes de perovskit,  que aumentam significativamente a vida útil da célula solar. “As células solares quase não mudaram depois de trabalhar por 800 horas”,  diz o pesquisador Liu.
Além disso, ao tornar a camada mais espessa, os custos de produção foram reduzidos significativamente: “A camada absorvente mais espessa garante uma boa reprodutibilidade da fabricação de células solares, o que é uma vantagem fundamental para a produção em massa em um ambiente de escala industrial realista, explica Liu.
Agora esta equipe de pesquisadores está enfrentando o desafio de aumentar o tamanho dessas células solares para grandes painéis solares de tamanho comercial, o que eles tentarão realizar graças a uma doação recebida do Centro de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica do OIST.
Até agora eles conseguiram construir um modelo com uma área de 12 centímetros quadrados, um tamanho muito maior do que a pesquisa inicial, mas ainda longe do tamanho necessário para o mercado de painéis solares. A equipe espera atingir sua meta nos próximos anos, e assim começar a comercializar painéis solares muito mais baratos do que os comercializados hoje, graças a essas células solares de perovskita .

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here