Whatsapp Limita Encaminhamento de Mensagens para Controlar Fake News

0
15

Whatsapp Limita Encaminhamento de Mensagens para Controlar Fake News

O aplicativo de mensagens WhatsApp agora terá uma restrição de destinatário para o encaminhamento de mensagens. Segundo a empresa, de propriedade do Facebook, o objetivo é reduzir a disseminação de notícias falsas. A novidade foi pela empresa por meio de seu blog institucional.

O Whatsapp é a segunda maior rede social do planeta, com 1,5 bilhão de usuários. A plataforma perde apenas para o Facebook, com 2,2 bilhões de pessoas cadastradas. No Brasil, existem mais de 100 milhões de pessoas com o aplicativo

Até antes da mudança, uma mensagem poderia ser transmitida para até 250 chats (conversas, que podem acontecer com pessoas ou grupos) de uma só vez. Com a limitação, o número será de 20 conversas quando alguém quiser direcionar o texto recebido.

Na Índia, a restrição será maior, com roteamento sendo permitido apenas cinco chats. Há também uma modificação na ferramenta de transferência, removendo a opção perto das mensagens. O país informou casos de linchamentos e homicídios com base em rumores divulgados pelo Whatsapp, que agregou o aplicativo em questão e gerou discussões em diversos países.

“Presumimos que essas mudanças, que continuaremos a avaliar, ajudarão a manter o Whatsapp no ​​sentido do que foi projetado: um aplicativo de mensagens privadas”, disse a empresa em seu blog.

O aplicativo foi indicado por profissionais e autoridades como um dos meios mais poderosos de espalhar notícias falsas. Entre os fatores que abririam espaço para esse tipo de prática estaria a agilidade de repassar as mensagens e a falta de identificação desse tipo de procedimento, o que favoreceria uma lógica de mensagens sem autoria.

Para lidar com o segundo problema, na semana passada o Whatsapp já havia explicado que as mensagens transmitidas seriam identificadas como tal. “Essa indicação extra transformará diálogos individuais e em grupo que são mais fáceis de seguir”, disse a empresa em seu blog institucional.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here